Livro de Abraao

MormonWiki, a enciclopédia livre sobre os mórmons escrita da perspectiva dos membros fiéis.<br> ''<nowiki>http://pt.mormonwiki.com/</nowiki>Livro_de_Abraao''

O livro de Abraão é um livro de escrituras antigas traduzidas pelo Profeta Joseph Smith a partir de papiros antigos. Hoje o livro se encontra compilado em Pérola de Grande Valor, esse é um dos livros que os Mórmons consideram sagrado além da Bíblia, o Livro de Mormon, e Doutrina e Convênios. O livro contém ensinos importantes sobre a criação e convênio de Deus com Abraão, a preexistência, ou vida da pré-terrena, do homem, a natureza do deus, e a missão eterna de Jesus Cristo como nosso Salvador.


Origem e História do Livro de Abraão

Michael Chandler, um imigrante Irlandês, tinha adquirido quatro múmias e três rolos de papiros de um arqueólogo amador italiano chamado Antonio Lebolo. Lebolo tinha explorado a região em torno de Thebes no Egito entre 1817 e 1821. Trouxe consigo onze múmias e alguns papiros. Em sua morte, entregou a Michael Chandler. Ao excursionar com os artefatos por Ohio, o Chandler visitou o Profeta Joseph Smith em julho, 1833, em Kirtland, Ohio, porque tinha ouvido que o Profeta poderia traduzir registros antigos. A fim de analisar os registros, o Profeta pediu-os a Chandler. O Chandler cedeu então ao Profeta um certificado que suas conclusões eram as mesmas que as de diversos escolados eminentes que tinham olhado os registros previamente.

O Profeta descobriu que alguns dos rolos incluíam os escritos do patriarca Abraão. Joseph e a igreja compraram os múmias e os rolos, pois Chandler se recusou vender apenas os rolos, o valor da compra foi de $2.400, uma soma grande naquela época e que foi rateada entre a maioria dos Mórmons que viviam naquela época em Kirtland. Joseph descreveu os papiros como segue: “Os registros de Abraão e José, encontrados com as múmias, são escritos belamente nesses papiros, em preto, e em vermelho em algumas partes, a tinta e a pintura, possuem uma preservação perfeita” (história da igreja).

Joseph começou imediatamente a traduzir os registros. Trabalhou na tradução até o fim de dezembro. Parou de traduzir em 1836 enquanto aumentou sua ocupação com a construção do Templo de Kirtland, o primeiro Templo Mórmon, da nova dispensação.

Nos anos seguintes, mesmo com as perseguições, e o trabalho de conduzir a igreja, ainda assim o trabalho de tradução foi mantido, todas as pessoas que quisessem saber mais sobre esses registros podiam checá-los livremente.Também arranjos para tê-los publicados. Em 1837, a igreja pagou Reuben Hedlock para fazer todas as preparações necessárias publicar os registros. O Perseguição atrapalhou-os outra vez de terminar o trabalho. Finalmente, em março de 1842, porque estava vivendo em Nauvoo, Illinois, o profeta pode continuar traduzindo. Reuben Hedlcok preparou as imagens para impressão, que se relacionaram a Abraão. Uma delas descreve Deus e a organização do universo, e os outros dois ilustraram eventos da vida de Abraão. O Profeta os publicou em um jornal da época, o “Time and Seasons”, 16 de maio 1842.

Os membros da Igreja Mórmon ficaram muito felizes com a descoberta destes registros antigos, pois eles deram-lhes mais conhecimento sobre o evangelho Deus e os profetas Bíblicos. O livro foi reimpresso por diversas vezes nas décadas seguintes. Infelizmente, quando os Mórmons foram expulsos de Nauvoo por turbas revoltosas em 1846 e fizeram seu êxodo histórico para Utha conduzidos por Brigham Young e os outros apóstolos modernos, as múmias e os papiros originais foram deixados para trás. Perdidos pelos mórmons, a múmia e os papiros foram parar em Chicago, onde foram destruídos provavelmente em um incêndio em 1871.


Em 1960, no museu metropolitano de arte em New York City foi encontrado onze fragmentos dos papiros originais mas infelizmente tinham sido danificados e não estavam “na preservação perfeita” como quando Joseph os viu.

Estudiosos, Mórmons e não-Mórmons estudaram completamente estes papiros. Os professores da universidade de Brigham Young escreveram sobre o livro de Abraão e dos papiros. Alguns de seus trabalhos estão disponíveis no site da universidade BYU.

Sua pesquisa mostrou que a tradução de Joseph Smith concorda com muitas tradições antigas sobre Abraão e que eram desconhecidas por povos da América durante o período em que Joseph Smith viveu. O Apostolo mórmon Franklin Richards em 1851, ao revisar o trabalho para a igreja na Inglaterra, recolheu algumas traduções e revelações de Joseph Smith e as publicou como Pérola de Grande Valor. Os membros da Igreja reimprimiram muitas vezes as publicações nos anos seguintes. Finalmente em 1880, a Igreja aceitou Pérola de Grande Valor, e o livro de Abraão, como parte de suas obras padrões.


Índice e Importância

O livro de Abraão tem cinco capítulos. Os capítulos 1 a 2 incluem detalhes previamente perdidos sobre a vida e a sua luta de Abraão contra idolatria de sua sociedade e de sua própria família. Pregadores e pagãos tentaram o sacrificar Abraão aos seus Deuses, mas um anjo apareceu e salvou-o. O capítulo 2 inclui informações importantes sobre os convênios de Deus com Abraão, e como seria cumprido. Os capítulos 3 a 5 são uma visão em que o Deus revela muito sobre a astronomia, a criação do mundo, e a criação do homem. Concorda precisamente com as descrições de Moises quanto a criação, exceto que nos dá ainda mais detalhe.

Além do texto, há três fac-símiles, “desenhos” que estavam contidos nos papiros. Um mostra Abraão sendo oferecido em sacrifício por um pregador; o segundo contem introspecções importantes sobre a organização dos mundos. O desenho final mostra o ensino de Abraão na corte do Faraó.

O livro de Abraão é um testemunho importante e poderoso de Deus e do seu trabalho entre os homens. É também evidência poderosa que Joseph Smith foi um profeta verdadeiro de Deus. Sem o dom de revelação, o Profeta não poderia ter traduzido estes escritos. Contem muitos ensinos importantes sobre a perfeição e o onisciência de Deus, a missão divina de Jesus Cristo, e a finalidade da existência do homem.

Com o livro de Abraão podemos responder às perguntas as mais importantes da vida: Quem somos nós? De onde viemos? Por que estamos aqui? E para onde vamos?

Ferramentas pessoais
Noutras línguas